GOV Token, explicando a solução na blockchain do Bitcoin para transparência nos gastos públicos do Estado do Rio de Janeiro

O Estado do Rio de Janeiro pode utilizar o Gov Token para registrar em uma terceira camada da blockchain do Bitcoin todos os recursos que forem liberados por uma entidade pública.

O governo brasileiro é um dos países líderes no uso de tecnologias DLTs. 

Durante o ano de 2020, dezenas de projetos foram lançados e testados, de eleições digitais a autenticação de documentos pelos cartórios de notas brasileiro. Em live, Geanluca Lorenzon, Secretário do Ministério da Economia, resumiu bem o contexto: 

' Você se surpreenderia com o quão bem vista é blockchain dentro do governo'. 

Grande parte das iniciativas, no entanto, utilizam a rede blockchain institucional e interoperável para do Governo Federal, não blockchains abertas, como é o caso da rede do Bitcoin. Mas esse não é o caso do GOV Token. 

No dia 11 de março, o projeto "GOV Token" foi anunciado como uma 'stablecoin' lastreada em reais voltada ao aumento da transparência das obras públicas do Governo do Rio de Janeiro que utilizam o BNDES. A stablecoin funcionará através de uma 'terceira camada' do blockchain do Bitcoin. 

Para explicar como funciona o token, a auditoria da stablecoin, o acesso às informações  e muito mais, conversamos com Marco Jardim, head de tecnologia na Investtools, unidade de negócios Blockchain Studio, e está à frente do projeto GOV Token. 

Assista a conversa com Jardim no nosso youtube:

Categoria:Econômia

Deixe seu Comentário